segunda-feira, 10 de setembro de 2007

O teu nome é tão pequeno
Começa e acaba
Podia passar catedrais a recitá-lo
A escrevê-lo
Conhece-me, musa psíquica
Quero ser famoso entre as tuas singularidades
Pontuar as tuas intervencções
Fechar-te num diário palpitante
Onde só tu e as minha ideias se baralham

Um comentário:

O Raposo, the Foxman disse...

O verdadeiro nome são grilhões para a vida.