sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Olha de volta
Tens pertences que não desejo
Crucifixo invertido escondido
Peluda inveterada

Sentir o que desliza

e se espalha

que envolve

A vibração de lagos cristalinos conspurcados

framboesa das mais negras

fragrância juntinha a ti

faísca de som inalado

Não total

O que adorava

Esventrar

Um comentário:

O Raposo, the Foxman disse...

Escuro de que a noite foge.