segunda-feira, 8 de outubro de 2007

E Ele Disse:

Não escreverás deliciosamente este pensamento!
Conheço bem a tua mente atingível degenerada!
As tuas palavras são punhais mortíferos
Estás ansioso por as libertar e as pregar
Na bandeira de sangue debilitado do teu núcleo visual
Queres ser o filtro maleável, não é?
Balançar o magnetismo antes dos bonecos te substituírem...
Dominar a extinção descodificada...
Bruma cénica
Prédios
Cidades
Paisagens sónicas
Incompreensão
Excitação
Madeira colorida
Desbotada
O Mestre aguarda-te nos seus fios desarrumados...
Hoje ele deixa-te dançar mais cinco minutos...
Olha bem
Repara como o teu piscar de olhos não é assim tão natural...
Automático
Geral

Um comentário:

O Raposo, the Foxman disse...

Poderá uma marionete asfixiar-se nas cordas do seu mestre? Ou o oposto?